Litoral da Paraiba




Hotel Globo

Em 1978, o antigo Hotel Globo foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico da Paraíba - IPHAEP, Decreto nº 8639 de 26 de agosto de 1980. O Antigo Hotel Globo constitui exemplar de arquitetura civil singular, de traços ecléticos dos mais importantes que caracterizam as transformações urbanas do início do Século XX na Cidade de João Pessoa. O representativo conjunto é composto por dois monumentos de características estilísticas distintas e harmônicas. Enquadram-se ao movimento eclético, traduzindo em suas formas a influência dos estilos neo-clássico, Art Noveau com motivos do Art Déco presentes inclusive em sua mobília.

No momento histórico em que o Governo do Estado tem estimulado o crescente desenvolvimento turístico-cultural na Paraíba o antigo Hotel Globo constitui-se patrimônio dos mais valiosos voltando a ter sua importância reconhecida, desta vez, por diferentes segmentos, entre os quais turistas interessados por tudo que o Hotel representa para a história, cultura, arquitetura e turismo. O Hotel com sua localização privilegiada de singular beleza, entre o rio Sanhauá, a Igreja de São Frei Pedro Gonçalves, rico patrimônio em estilo colonial, que guarda relíquias da história da Paraíba, atrai visitantes que buscam conhecimento e ao mesmo tempo contemplar o pôr-do-sol nos belos jardins do hotel.


Areia Vermelha

Não é uma praia, e sim um banco de areia que se encontra a 1,5 km da costa, na altura da Praia de Camboinha, que emerge todas as vezes em que a maré está baixa, permanecendo à tona durante aproximadamente cinco horas. Nesses momentos, é muito frequentada por admiradores da natureza que vão desfrutar das delícias da ilha. Seu nome é proveniente da coloração de suas areias avermelhadas.

É um ótimo lugar para banhos, já que possui piscinas naturais, peixes e corais numa água cristalina de tom verde-claro, ótima para a prática de megulho livre. Nos corais que a cercam é necessário cuidado e prudência. Não é aconselhado andar sobre eles, para evitar acidentes, bem como a depredação destes.


Praia do Jacaré

Aqui a natureza oferece um dos seus mais belos espetáculos associado ao que a cultura humana é capaz de produzir de melhor. O pôr-do-sol na Praia do Jacaré, localizada na cidade de Cabedelo, a 18 Km de João Pessoa, é parada obrigatória. Ao som do Bolero de Ravel, os visitantes podem assistir a este espetáculo da natureza.
Recentemente uma região da Praia do Jacaré, onde se localizam bares e onde as pessoas se concentram para apreciar o pôr do Sol, foi urbanizada e recebeu uma infra-estrutura digna de um lugar com grande potencial turístico. Foram construídos um amplo estacionamento, passarelas com detalhes em mosaicos, bancos de cimento e, como não poderia deixar de ser, muitos lixeiros foram espalhados por todos os lugares.
Contemplado há mais de duas décadas por moradores e turistas de todo Brasil e de outros paises que visitam João Pessoa, o pôr-do-sol do Jacaré vem acompanhado de uma trilha sonora digna da beleza poente do astro: o Bolero de Ravel, que é tocado todos os dias ao entardecer para dezenas de turistas e moradores da região, fato que colocará o saxofonista paraibano Jurandir do Sax no livro dos recordes, o Guiness Book por ter sido o maior executor do clássico Bolero de Ravel do Francês Maurice Ravel. Além do espetáculo grandioso, a infraestrutura do local ainda permite passeios náuticos nas ilhas formadas pelo estuário do rio, vôos turísticos de asa delta e ampla estrutura de restaurantes que oferecem iguarias da culinária típica da região que podem ser degustadas nos trapiches que avançam sobre o rio e aproximam ainda mais os visitantes das belezas naturais do local. Para proteger tão rara beleza, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba pretende tombar o pôr-do-sol como bem imortal e assim trazer melhorias para a área.O tombamento será uma forma simbólica de proteger a região e realizar ações em prol do desenvolvimento sustentável da região. Para os apaixonados e amantes da natureza, o segundo pôr-do-sol mais belo do país oferece momentos indescritíveis e únicos daqueles que guardamos em nossa memória eternamente.


Intermares, onde se pratica surf e se protegem tartarugas-marinhas em extinção

A praia de Intermares, localizada no município de Cabedelo (a 18 Km de João Pessoa, na Paraíba) é considerada uma das mais belas do litoral brasileiro, mas com alguns diferenciais que as concorrentes não possuem. Praia considerada urbana, apesar de ter poucas construções próximas, é um dos principais points dos surfistas nordestinos e, claro dos paraibanos. Treinar em Intermares, por exemplo, foi uma das primeiras escolas do campeão mundial de surf, o paraibano Fábio Gouveia. Fabinho deu os seus primeiros passos, aliás, nados em Intermares, local predileto para os seus treinos e competições.
Mas não é só isso que a praia chama a atenção do turista e da população nativa. Um grupo de kitesurfistas, entre eles o campeão brasileiro em 2002, Joseph Carneiro, esteve na Paraíba mapeando o litoral para encontrar as praias ideais para a prática deste esporte, que chegou no Brasil há pouco mais de dois anos. O grupo encontrou em Intermares, segundo Joseph, uma das praias mais propícias do mundo para a prática desta modalidade.
Kitesurf, para quem ainda não conhece, é um esporte praticado no mar com uma prancha e um pára-quedas. No Brasil esse esporte ainda é muito novo, mas na Europa ele já vem sendo praticado a mais de cinco anos. Uma das características de Intermares, para ter obtido o título de uma das melhores do mundo, é ela ser aberta, sem muitas moradias próximas e ter um vento relativamente forte e constante. Mas não é só isso. A praia de Intermares também vive de seus personagens. E ele chegou bem antes de todos esses atrativos. O surfista Valdi Moreira, dono do Bar do Surfista, é um dos precursores deste pequeno pedaço do litoral paraibano. Quando chegou na área, passar por Intermares era uma aventura. A praia estava completamente virgem, com a presença rara de pessoas. A urbanização da praia provocou mudança na expectativa de vida de seus poucos moradores e da estrutura turística do Estado. Por outro lado, acarretou um problema ecológico, com a morte de tartarugas de uma espécie em extinção, as tartarugas-de-pente. Mesmo sem ter conhecimento científico para preservar o pequeno réptil, o nosso surfista Valdi Moreira se transformou num salva-vidas. Não demorou muito para o trabalho dele ser conhecido e reconhecido, algo que resultou na criação da ONG Guajiru, que gerencia o Projeto Tartarugas Urbanas, que é coordenado pela bióloga Rita de Cássia. A ONG ainda atua com muita dificuldade, mas vem conseguindo, segundo o nosso surfista-herói bons frutos. Em três quilômetros de praia existem mais de 50 ninhos da tartaruga. Somente esse ano, Valdi diz ter salvado mais de oito mil filhotes. Apesar do período de desova acontecer em setembro, ainda é possível encontrar alguns ninhos. No local, existe um grande painel que conta a história desse trabalho, com fotos e depoimentos dos principais personagens.


Parque Solon de Lucena

É um dos recantos mais bonitos da capital, se não a mais bela expressão paisagística. Antigo sítio pertencente ao domínio dos jesuítas, o local contava, em tempos recuados, com um verdadeiro bosque, mostrando a pujança da Mata Atlântica. As árvores circundavam a lagoa natural ali existente, lagoa esta depois incluída na urbanização geral do parque. Os jardins de hoje têm o traçado original do paisagista Burle Marx, podendo-se ver ainda o bambuzal e exemplares de pau-d arco e de outras árvores da reserva da Mata Atlântica, além das belas palmeiras imperiais que acompanham o desenho do lago central. Mantendo suas características originais, a lagoa do Parque Solon de Lucena é um dos belos cartões de visita da cidade e um de seus pontos mais pitorescos para passeio, diversão e lazer. É tombado pelo IPHAEP (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba) desde 26 de agosto de 1980. Localização: Centro. João Pessoa - PB


Parque Arruda Câmara

Popularmente chamado Bica, em virtude de uma fonte natural de água potável em seu centro, o Parque Arruda Câmara é um oásis no meio da capital paraibana. Recanto dos mais pitorescos da cidade, constitui-se num verdadeiro santuário ecológico encravado no centro de João Pessoa.

Compreende uma área de 43 hectares que foi desapropriada pelo então prefeito Walfredo Guedes Perreira, em 1920-24, e batizada com o nome do renomado botânico paraibano da cidade de Pombal. É tombado pelo IPHAEP (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba) desde 26 de agosto de 1980. Localização: Rua Gouveia Nóbrega, s/n, Roger - João Pessoa / PB.


Fortaleza de Santa Catarina

A Fortaleza de Santa Catarina está localizada em Cabedelo, cidade vizinha a João Pessoa, (18 km) e representa o testemunho das lutas de libertação do país contra as grandes expedições dos invasores.
Neste forte, o herói André Vidal de Negreiros repeliu os holandeses ao término de uma série de batalhas memoráveis que se inscrevem nos compêndios de história brasileiros e europeus, de significado decisivo na luta pela defesa das riquezas do nosso território. É um monumento em pedra, construído no século XVI, que conta parte de nossa história. Tomada pelos holandeses em 1637, a fortaleza foi recuperada pelos portugueses em 1645 e desde esse tempo ergue-se como uma sentinela em defesa de nossas costas; foi palco de passagens memoráveis, tendo inclusive recebido o Imperador D. Pedro II quando de sua visita a João Pessoa. Nos dias de hoje, a fortaleza é o retrato vivo das grandes construções militares do passado, inclusive com relação às armas. Restaurada e preservada, é atualmente um dos mais ativos memoriais e centros culturais paraibanos. Sua localização é um verdadeiro convite para se ver de perto toda a beleza natural do lugar.









Voltar




ENVIE ESTA PÁGINA PARA SEUS AMIGOS
Seu nome:   
Seu E-mail:  

Escreva uma mensagem para seus amigos.

Você pode enviar para quantos amigos desejar,
basta clicar no sinal de mais(+) para que outros campos apareçam.

Nome E-mail